Estratégia para criar títulos SEO

Faz algumas semanas desde que o Google reduziu o espaço para títulos em resultados de busca. Nos bons tempos, a meta <title> podia ocupar até 75 caracteres, o que era espaço suficiente para compor um bom título, otimizado para pesquisas nas search engines. Agora, o espaço dedicado à alocação de umas das principais meta tags foi reduzido e o título passa a exibir entre 48 e 62 caracteres, incluindo espaços. Para evitar títulos muito longos é necessário planejar onde vai inserir as palavras-chave principais de seu conteúdo. Essa mudança a obrigação de compor títulos curtos, que exibam as keywords (palavras-chave) destacadas torna-se um desafio. Mas como todo bom desafio, ele pode ser vencido se houver uma estratégia na titulação e na escolha dos termos que irão compor a parte principal de um conteúdo na web.

SEO title – definindo as palavras chave

A escolha certa das palavras-chave é (por enquanto) fundamental na hora de definir a composição e o posicionamento das palavras no título. Particularmente não sou fã nem recomendo que jornalistas usem ferramentas especiais para pesquisar por palavras-chave. Tudo que precisam saber é o que a audiência deseja ler  e que assuntos coligados à determinada palavra-chave é de interessa da audiência. Para averiguar esses dois pontos, costumo usar dos recursos muito conhecidos no Google. O primeiro é o recurso de autocompletar a pesquisa. Acontece sempre que começamos a digitar um termo na janela de buscas. O Google vai oferecer complementos ao termo com base em dois fatores: ocorrência do termo na web e popularidade em buscas.  Assim podemos ter uma boa noção do volume de buscas por determinado termo. Lembre-se que o menu com mais sugestões apresentado na janela de buscas do Google é hierárquico ;). Outro recurso que gosto de usar é o campo “Pesquisas relacionadas”, exibido no rodapé das páginas de busca. Não é exibido sempre, mas quando acontece, pode orientar na estruturação do texto, com boas sugestões para intertítulos.

Palavra-chave exata no título

Vimos que já a alguns meses, títulos exatos, coma a busca exata têm perdido força. Vide os How-to titles, aos quais Matt Cutts (antes de sumir) prometeu guerra. E essa perseguição, ou, melhor, desvalorização de títulos SEO que ataquem diretamente a busca já pode ser percebida nas SERPS do Google em idioma inglês e em português, também (ainda em menor escala). Observe nas imagens como em buscas por “como fazer…” ou “how to…”(em inglês) não é mais garantia alguma de ranking privilegiado:

Query e resultados
Em inglês, a busca how to peel (como descascar…) e do lado direito, a busca por “como fazer batata frita no microondas” – notem a pequenas vantagem (desprezível) que a palavra-chave exata no título tem no ranking

E nos resultados em português: Apenas quando selecionamos o recurso “ao pé da letra”, encontramos esses ataque bem posicionado. Olha só!

Resultado de busca por palavra chave
Palavras chave extaes em títulos perdem força

O que ocorre é uma diluição importante no peso que a presença de uma palavra-chave exata no título exerce sobre a qualidade geral de uma URL. Muitos irão notar que, principalmente em palavras-chave com alto volume de buscas, os resultados levarão em consideração a presença da keyword distribuída ao longo do conteúdo. Vale avisar que não se trata de alocar a KW sempre que possível no corpo do texto. Se for partir para um ataque com alta densidade, uma dica: use alguns trechos do texto para reforçar as palavras-chave, deixando algumas áreas mais livres.

Assim: Ao escrever títulos otimizados para o Google, lembre -se de não viciar em certos recursos que deixaram vários redatores viciados. Ao escrever um título que fique legal no Google e atraia o click e o ranking orgânico, basta saber que a palavra chave tem de estar visível para a audiência.

Valeu!!